quarta-feira, julho 26, 2017

Bom negócio para todos

Quando um negócio é bom para todo mundo geralmente acaba acontecendo. Óbvio. Ninguém entra numa negociação para sair perdendo. Se um dos lados acredita que o negócio não é bom para ele, esse lado se levanta da mesa e o negócio não é fechado. Não é tão simples assim, mas em regra é assim que funciona, pois o princípio básico de uma negociação é este: uma troca onde todas as partes envolvidas saem ganhando.

No caso da maior saga desta janela de transferências, todas as partes saem ganhando. A provável ida de Neymar para o Paris Saint-Germain é boa para todo mundo. Primeiro, é boa para o Barcelona porque o atleta demonstra ter dúvidas sobre sua continuidade no clube espanhol, e não é interessante para nenhum clube ter um atleta indeciso e insatisfeito. Claro. Neymar é hoje um jogador insubstituível. Atualmente não há um ponta-esquerda no mundo que faça o que ele faz. Seu talento é indiscutível e seu destino é a Bola de Ouro. O que torna essa negociação boa para o Barcelona, no entanto, é o seu valor: € 222 milhões. Com essa grana, não necessariamente nesta janela, o Barça poderia contratar, por exemplo, Verratti (24 anos) e Dembélé (20 anos), e ainda pagar os salários deles por duas temporadas. Ou Coutinho (25 anos) e Dembélé. Um cara para jogar como interior e outro para assumir a vaga de Neymar (no caso, o craque francês do Dortmund). Não sei você, mas eu "trocaria" Neymar por Verratti (ou Coutinho) + Dembélé sem pensar duas vezes (ainda mais considerando - e isso é muito importante - a vontade de Neymar de sair).

E para o PSG, seria um bom negócio? Vale a pena pagar a multa de € 222 milhões para ter Neymar? Num primeiro momento, eu diria que não. Na minha avaliação Neymar (25 anos) vale hoje uns €150m, talvez um pouco mais do que isso. Mas se o PSG tem a grana para pagar (sem se complicar com o fair play financeiro), ótimo para o PSG, pois o time francês asseguraria o segundo maior talento do futebol mundial, com uma projeção de evolução gigantesca pela frente. Neymar seria a peça que falta para o PSG entrar na Champions League como um dos três favoritos ao título. A obsessão do PSG é a UCL, e com Neymar sem dúvida esse objetivo ficaria mais palpável - apesar de não haver garantias de título no esporte, em especial no futebol.

E para Neymar, seria um bom negócio? Sim. Não só financeiramente. Que o dinheiro pesa, sabemos que pesa. Contudo, grana à parte, esportivamente falando, sim, seria um bom negócio para Neymar. Primeiro porque o PSG está estabelecido entre os sete grandes clubes da Europa. É verdade que não tem a história de outros grandes do continente, porém história é passado e o que interessa aqui é o presente (e o futuro). Por teimosia ou burrice, por mais que muitas pessoas não compreendam isto, o fato é que hoje o PSG pertence à elite composta por Real Madrid, Barcelona, Bayern, Juventus, Manchester City, etc. Isso baseado na tradição? Não. Isso baseado no trabalho que vem sendo feito nos últimos anos e, principalmente, baseado na qualidade do elenco. Nesse quesito, não de agora, o PSG está na prateleira de cima. E com Neymar, o patamar do elenco subiria ainda mais. Em outras palavras, o PSG dá a Neymar (e a todos os seus jogadores) todas as condições para conquistar a cobiçada Champions League.

Outro ponto positivo para Neymar nessa negociação seria a questão do protagonismo. Como diz um tweet que viralizou esses dias, o Barcelona oferece a Neymar a oportunidade de jogar com Messi, enquanto o PSG oferece a Neymar a oportunidade de ser Messi. Neymar tem "apenas" 25 anos, tem muito chão pela frente. É compreensível, todavia, que ele queira mais protagonismo neste momento da carreira. É compreensível e legítimo que ele não queira esperar Messi baixar o nível para ele conseguir começar a ser o dono do time. Isso vai levar mais uns três anos. No PSG ele seria o dono do time desde o dia 1. E, como sabemos, em regra ganha a Bola de Ouro o protagonista da equipe campeã da Champions League. Aliás, o que disse Piqué ontem na coletiva é uma meia bobagem. Ele disse que na França só se pode ganhar a Bola de Ouro se a UCL for conquistada. Verdade. Porém na prática isso se aplica a todas as ligas nacionais, já que o peso do título da UCL é o que faz, de longe, a diferença na premiação da Bola de Ouro.

Outro ponto positivo para Neymar nessa negociação seria a quantidade de brasileiros que ele encontraria em Paris. Você pode concordar com ele ou não, mas está evidente que ter brasileiros no elenco é algo que pesa para Neymar, e hoje o PSG está cheio de compatriotas (Thiago Silva, Marquinhos, Thiago Motta, Lucas Moura e, claro, o "irmão" Daniel Alves). Ou seja, no fim das contas, se você colocar todos os fatores na balança e analisar por todos os lados, vai perceber que nessa negociação todas as partes envolvidas saem ganhando. Ganha o Barcelona (desde que saiba o que fazer com os €222m), ganha o PSG e ganha Neymar. Por essas e outras, a negociação deve acabar se concretizando.

Um comentário:

Ronan Sato disse...

Saudações. Escrevo em nome do portal de resultados esportivos Resultados.com e gostaria de saber se este blog está aberto a uma parceria de troca de links. Em caso afirmativo, nosso e-mail para contato é support@resultados.com. Obrigado.