segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Sobra emoção, falta razão

Não ouvi nem vi a final da Taça Guanabara.

Só vi e ouvi os melhores momentos, as reportagens e os comentários sobre o jogo. E sobre o pós-jogo.

E, apesar de o Flamengo ter sido campeão, o protagonista da decisão foi o Botafogo de Clube e Regatas.

Um capitão ou um tenente sempre respondem a um superior. Sempre há um homem lá em cima, um general, que dá o norte quando as coisas parecem estar perdidas. Todo um batalhão, na hora do aperto, espera de seu líder-mor, de seu general, uma decisão, uma solução. E esse general tem de ser frio o suficiente para ponderar a situação, seja ela qual for, e achar uma alternativa cabível, pois milhares de pessoas dependem dele, dependem das atitudes dele.

Os homens do alto escalão do clube de General Severiano não parecem estar preparados para ocupar tais postos. Se o general-mor está desnorteado, e não consegue segurar as pontas, o que esperar dos rasos soldados alvinegros?

Aos líderes do Botafogo falta racionalidade.

Sei que fazer do futebol metáfora da guerra é pieguisse, mas é isso que acontece. E há coisas que só acontecem com o Botafogo.

2 comentários:

Bruno Silva disse...

"E há coisas que só acontecem com o Botafogo."

Eu achava que essa frase era nossa, dos corintianos. hehehe (substituindo os times, claro)

Abraços!
http://pandegosepatuscos.blogspot.com/

Anônimo disse...

oi, parabéns pelo blog!

veja meus vídeos do gol do tardelli:
http://br.youtube.com/watch?v=UarbMd1G4xQ
http://br.youtube.com/watch?v=1GNXgjW0LvU