sábado, julho 19, 2014

O novo Barcelona do novo Messi

Suárez na ponta direita e Messi falso nove, ou Messi na ponta direita, como nos velhos tempos, de início da carreira, e Suárez centroavante? Em princípio me perguntei isso, e cheguei à conclusão de que Suárez faria a ponta direita e Messi seria o falso nove, uma vez que no Liverpool, quando o time jogava no 4-1-4-1, o uruguaio fazia o flanco de campo e Sturridge era referência. No entanto, a julgar pela matéria do Sport, minha conclusão aparentemente se mostrou equivocada.

Pode ser que Luis Enrique troque o enraizado 4-3-3 pelo 4-4-2 em losango, esquema tático utilizado por Sabella em alguns jogos da Copa do Mundo. Segundo o jornal catalão, o novo treinador do Barça pretende aproveitar o último passe do camisa 10, escalando-o atrás da dupla de ataque formada por Suárez e Neymar. Se partirmos do sensato princípio de que Busquets, Rakitic e Iniesta são titulares absolutos, me parece que a única alternativa seja esse 4-3-1-2 mesmo.



Embora eu seja fã do 4-3-3, de esquemas com pontas legítimos, admito que não tinha pensado nessa hipótese do 4-4-2 em losango, e confesso que gostei. Com a trinca Busquets-Rakitic-Iniesta atrás e a dupla Suárez-Neymar na frente, Messi não seria tão exigido sem a bola, já que em regra ele teria de marcar o primeiro volante adversário, enquanto que com a bola sua principal função seria municiar os camisas 9 e 11. E, convenhamos, qualidade para isso o gênio argentino tem de sobra.

Esse provável novo posicionamento de Messi no Barça poderia tirar dele sua capacidade goleadora. Em contrapartida poderia beneficiar o coletivo. Com Messi (e Iniesta e Rakitic) vindo de trás, Suárez e Neymar, exímios artilheiros, finalizadores natos que são, teriam muito mais oportunidades de balançar as redes do que se tivessem jogando nas beiradas. Claro, há o efeito colateral. O problema de se jogar sem wingers/pontas é que, sem a bola, você oferece os flancos aos laterais adversários. Contudo essa, digamos assim, “falha”, pode ser compensada com a contenção dos carrilleros Rakitic e Iniesta. E a partir do momento em que os laterais adversários sobem, surgem espaços às suas costas para que Suárez e Neymar possam deitar e rolar.

Enfim. Sem querer duvidar da informação do Sport, só saberemos se Luis Enrique de fato tem em mente essa equipe quando a temporada começar (ou melhor, quando Suárez estiver liberado pela toda-poderosa FIFA). Seja como for, em função das características de seus homens de frente, é bem possível que o Tiki-Taka azulgrená esteja com seus dias contados. E é bem possível que, com Messi enganche, Neymar e Suárez marquem uns mil gols por jogo. Aliás, se até o momento o brasileiro não conseguiu apresentar seu repertório goleador com a camisa culé, pode ter certeza de que, com Messi enganche, essa faceta vai dar as caras a partir de agora.

Nenhum comentário: