terça-feira, setembro 23, 2014

Uma cornetada na imprensa esportiva

Costumo dizer que o futebol é o segundo esporte mais popular do Brasil.

O primeiro é discutir a arbitragem.

Há quem diga que se discute arbitragem em demasia por aqui porque esse tipo de debate gera mais audiência (viva o poder econômico!). Pode até ser. Mas é simplório demais acreditar exclusivamente nisso. Na minha modesta visão, se fala de arbitragem em excesso por aqui porque basicamente faltam capacidade e conhecimento para se falar de futebol, para se comentar o campo e bola propriamente dito.

Pense comigo. O que é mais fácil? Analisar o jogo tática e tecnicamente ou ficar gastando minutos, até horas, falando de erros ou acertos de arbitragem? Obviamente é mais fácil falar de arbitragem. Mas como disse, não acho que fazem isso por maldade, puramente em nome da audiência. De uma maneira geral, acho que fazem isso por incompetência mesmo, pois debater o campo e bola exige um conhecimento que a maioria, ou boa parte, dos jornalistas não possui.

No entanto o buraco é mais embaixo. Vai além. A discussão envolvendo a arbitragem (essa praga verde e amarela) é apenas um grão de areia nesta vasta duna de ignorância (ignorância no sentido da falta de conhecimento). Repare. Assista aos programas, ouça-os, leia os blogs, colunas e afins, e você verá que se gasta mais tempo e linhas com o extracampo do que com o jogo jogado em si. Fala-se muito mais do dirigente, da torcida, da crise, da polêmica, da fofoca e o caramba do que do campo e bola. Fala-se, de uma maneira geral, muito mais dos problemas e soluções extracampo do que do que acontece de fato dentro das quatro linhas. Por quê? Por maldade? Pelo sensacionalismo? Pela audiência? Pode ser. Mas não tenho dúvida de que, também, por incapacidade – salvo poucas e boas exceções (sim, elas existem).

Quem me segue nas redes sociais sabe que eu costumo dizer que o futebol é o segundo esporte mais popular do país, atrás das discussões de arbitragem – essa paixão nacional, ao lado da bunda. E sabe também que costumo dizer que, se o futebol brasileiro está nivelado por baixo, a imprensa esportiva brasileira – salvo exceções – está no mesmo caminho, nivelada por baixo. Basta analisar as análises com senso crítico para perceber isso.

2 comentários:

Fernando disse...

Carlão,
Concordo com vc totalmente no que diz respeito a total ignorância da imprensa e torcida brasileira no quesito "bola e campo".
Mas, quanto a arbitragem, discordo totalmente. Discute-se tanto aqui esse fator, porque é inegável que os clubes com maior torcida são absurdamente beneficiados. Analisar o futebol brasileiro hoje em dia sem citar isso é querer não enxergar o óbvio.
Já passou há muito tempo de simples erros, incapacidade ou acaso. É mais do que óbvio o poder da TV (interesse puramente financeiro, portanto) em todo nosso futebol e com isso os dois clubes de maior torcida são frequentemente beneficiados.
E em 2014 isso chegou ao auge. Vide campeonato carioca, onde o roubo é ainda mais descarado há mais de uma década.
Ser contra tudo de nosso futebol, mas achar que a arbitragem não está inserida nisso, é ser muito ingênuo.
Abraço.

GattsGrimm disse...

Carlão,
Concordo totalmente com você, são poucos os jornalistas que realmente entendem o futebol e que tratam de maneira séria, quando digo séria, não digo que o jornalista não possa fazer piadas, até por que isso é natural, mas agir somente em torno destas se torna algo irritante. Sobre a questão de arbitragem, de fato, a arbitragem tende a ser o assunto mais falado não só nos jornais, como nos botecos de bairro, como exemplo o jogo de domingo entre Corinthians X São Paulo. O jogo é ignorado mediante alguma controvérsia, o time que jogou melhor pouco importa, importa quem teve mais a seu favor. E discordo em parte do Fernando, não acho que seja futebol carioca, ou paulista, mas são neles que o ibope é maior. Veja times como Figueirense, Sport, etc;são times que todas rodadas tem pênaltis não marcados, e acredito que boa parte disso é da incompetência dos árbitros, e não puramente do beneficio para com clubes grandes. Acho que se a arbitragem não fosse tão ruim, esta não seria tão discutida.
Abraços.