quinta-feira, abril 14, 2016

Barça pagou o pato pelo rodízio zero

Este dado estatístico é bastante significativo: pela primeira vez na carreira Messi fica cinco jogos seguidos sem marcar gol ou dar assistência pelo Barcelona (450 minutos). O gênio argentino desaprendeu a jogar bola? Não. Porém, sem tirar os méritos dos adversários, fica evidente que alguma coisa se passa. E para mim está evidente que se trata de um problema físico. Não de uma lesão específica, mas sim de um cansaço generalizado, que veio a estourar nesta reta final da temporada.

Quando digo cansaço generalizado, não me refiro somente a Messi, mas sim ao time como um todo, em especial ao trio MSN. Porque o trio MSN joga todo santo jogo, jamais é poupado, tampouco substituído. Messi, Suárez e Neymar jogam praticamente os 90 minutos de praticamente todas as partidas. "Mas Cristiano Ronaldo também joga todas as partidas", argumentará alguém. Sim. Porém Cristiano Ronaldo fisicamente é um fenômeno (mérito dele, trabalha para isso). E só ele joga praticamente todos os jogos os 90 minutos. Todos os outros grandes craques, aqui ou ali, são poupados. Basta reparar no Bayern de Guardiola, por exemplo. Ou no próprio Real Madrid, no PSG, etc.

Outro detalhe: nas datas FIFA, nas Eliminatórias da Copa do Mundo, o trio MSN precisa atravessar o oceano Atlântico, enquanto outros craques se deslocam dentro da Europa. Eu sei. Eles não vêm nadando para a América do Sul, vêm de avião. Contudo, no longo prazo, isso pesa. Por isso precisam ser eventualmente poupados. (Mais um detalhe: nesta temporada o Barça participou do Mundial de Clubes no Japão; querendo ou não, mais viagens e mais datas. Sem falar nas Supercopas da Espanha e da Europa.)

No frigir dos ovos, o rodízio no Barcelona foi quase zero. O elenco é curto, sem dúvida. Ainda assim, Arda, por exemplo, poderia ter tido muito mais minutos. Deveria ter jogado mais vezes nas pontas (Messi e Neymar) e nas meias (Rakitic e Iniesta). "Mas o nível não é o mesmo", poderá argumentar alguém. Sim. Mas nenhum jogador que entrar no lugar de Messi, Neymar e Suárez irá manter o mesmo nível. Não há substitutos à altura. E isso acontece nos outros clubes também.

No fim das contas, portanto, fica a pergunta: Luis Enrique não rodou o elenco porque o elenco é curto demais ou porque as estrelas do ataque dão chilique ao serem poupadas/substituídas? Acredito que um pouco de cada. O elenco precisa sim ser maior, precisa ter peças de reposição mais qualificadas (não à altura, mas mais qualificadas). Assim como os três sul-americanos do ataque precisam entender que não podem jogar todas os 90 minutos. E Luis Enrique, no papel de líder, de treinador, precisa saber convencê-los disso sem gerar conflitos.

Um comentário:

José Victor disse...

Concordo, e também acho que o Luís Henrique precisa mudar um pouco o jeito de jogar, só jogo de um jeito, é certo que foi assim que ganhou o TRIPLETE, mas poxa, tem que mudar o modo de jogar dentro das partidas ... Zidane conseguiu fazer isso no Real Madrid, justamente no EL CLÁSICO, e isso mostrou que ele tem mais repertório e a confiança de seus jogadores.