quinta-feira, setembro 02, 2010

Destruidor na construção é complicado

Existem dois tipos de pessoas: as que gostam do futebol do Edinho e as que não gostam. É assim desde os tempos de Inter. Como pertenço ao segundo grupo, desde os tempos de Inter, não me entra na cabeça o time escalado por Felipão na noite desta quarta, no Maracanã.

O 3-6-1 do Verdão teve o meio-campo em losango, com Pierre na cabeça-de-área, Edinho e Marcos Assunção nos vértices laterais, e Valdívia na frente. Ou seja: o camisa 3 foi um dos responsáveis pela criação da equipe, e é aí que mora o perigo.



Não bastasse ter atuado apenas com um atacante (Kléber), que nem chegar a ser um 9 legítimo, Luiz Felipe atribuiu ao limitado Edinho a função de sair para o jogo. Logo, os únicos que sabiam jogar com a bola no pé eram Marcos Assunção e Valdívia.

Para mim é simples: Edinho é um mero destruidor, e não um construtor. Portanto, se for para manter o 3-6-1 em losango, ele que dispute vaga com Pierre, e Tinga que assuma um dos vértices laterais, ao lado de Assunção. Se Tinga não chega a ser, sei lá, o Tinga do Inter, pelo menos é muito mais inventivo que Edinho.

2 comentários:

Juliano Pereira Muniz disse...

Edinho é lento demais. Esse é o problema dele. Se não fosse isso, eu não teria raiva dele, acho que como primeiro volante ele serve. Mas pra armar jogadas, sair pro jogo, realmente não dá!

gerson disse...

Tb sou do segundo grupo. E, pior, ele não é um bom destruidor. Faz muitas faltas que criam situações de perigo. Acaba sobrecarregando a defesa.