segunda-feira, fevereiro 02, 2015

Willian e Cuadrado: wingers do futuro?

Como disse na gravação do podcast do Di Primeira, eu já visualizo o Chelsea num futuro próximo sem Hazard. Como disse na gravação do podcast ontem à noite, eu não tenho informação alguma a respeito disso, portanto posso estar falando uma tremenda duma besteira. No entanto, baseado numa análise de conjuntura bolada na minha cabeça, por mais estranho que possa parecer, permito-me imaginar que o craque belga não está nos planos de Mourinho para o futuro. E a chegada de Cuadrado está diretamente relacionada a isso. (Repito: Mourinho não disse nada a esse respeito, eu que estou levantando essa bola).

Não. Cuadrado não é mais jogador que Hazard. Talvez nenhum jogador do Chelsea seja tão bom quanto Hazard, tampouco Cuadrado. De fato, nenhum atleta dos Blues é tão habilidoso e talentoso quanto Hazard. Mas o raciocíno não pode ser tão simplório assim, né. Não é a quantidade de dribles que te faz melhor ou pior do que o outro. Não que Hazard seja apenas um driblador. Por favor. Não é isso. O camisa 10 domina alguns fundamentos à perfeição. Sem dúvida, sabe tratar a bola como poucos no futebol mundial. Por que então visualizo o Chelsea sem ele, se ele joga essa bola toda? Porque me baseio no que ele faz ou deixa de fazer sem a bola, para fazer tal projeção.

Mourinho não tem receio em "jogar feio", digamos assim. Não se constrange em estacionar o ônibus na entrada da sua área, se o panorama da partida for favorável, por exemplo. Se o regulamento ajudar, não vê problema nenhum em colocar o time fechado lá atrás para primeiramente se defender e depois contra atacar. De preferência em jogos grandes ou de mata-mata. Não estou dizendo que José só joga assim, todavia ele inegavelmente é mestre em jogar assim. Em outras palavras, Mourinho faz de tudo pelo resultado. E para se fazer de tudo pelo resultado, com essa filosofia de jogo, é mais viável contar com jogadores incansáveis no trabalho sem a bola do que com jogadores que botam a mão na cintura quando perdem ela.



Veja bem. Não estou dizendo que Hazard é um lixo sem a bola, que não sabe recompor o meio de campo, nem recuperá-la. Não é isso. Só estou dizendo que, sem a bola, Cuadrado e Willian, por exemplo, são mais eficientes do que ele. Para executar essa estratégia tão recorrente no trabalho de Mourinho, Willian e Cuadrado são mais eficientes (e Oscar). Noves fora que, com a bola, Willian e Cuadrado estão longe de serem pernas de pau. Pelo contrário. São dois ótimos jogadores. Não do nível de Hazard, é verdade, mas excelentes jogadores, que compensam com o alto rendimento na fase defensiva.

Dessa maneira, distribuídos num 4-2-3-1 sem Hazard, Cuadrado jogaria à direita e Willian à esquerda, com Oscar pela faixa central, à frente de Matic e Fàbregas, e atrás de Diego Costa. Willian, aliás, sempre foi ponta-esquerda. Desde os tempos de Shakhtar, diga-se. Sempre rendeu mais pela beirada esquerda. Sempre foi sua posição. Ele só joga na ponta direita do Chelsea porque a esquerda já tinha dono quando ele chegou (Hazard). Contudo, se de fato Hazard sair num futuro próximo, Willian pode voltar a atuar na sua praia, a extrema esquerda, de modo que a direita ficaria com Cuadrado. Dessa forma, Mourinho contaria com dois wingers que se encaixam no seu perfil, que atacam e defendem com a mesma eficiência, e que estariam em suas posições naturais (a praia do Cuadrado é o flanco direito).

Quanto a Hazard, não iria sair a preço de banana. Pelo contrário. Possíveis compradores interessados com bala na agulha não faltariam. Em especial, o PSG. Ainda assim, evidente, como eu disse na gravação do podcast ontem à noite, e como escrevi no primeiro parágrafo deste post, não tenho informação alguma sobre esse possível remanejamento. Trata-se apenas de uma análise de conjuntura, que até faz sentido na minha cabeça (e na sua?), mas que pode ser uma tremenda viagem. Resta-me aguardar para saber.

2 comentários:

Patryck Leal Gandra disse...

Blog do Carlão,

Participe do Super Quiz:
http://fcgols.blogspot.com.br/2015/01/super-quiz-primeiro-desafio.html

Abraços.

welton jr. disse...

Acho isso improvável (pra não dizer impossível). Nenhum treinador eh tão retranqueiro a ponto de não priorizar um craque independente do seu papel tático - defensivo -. Mourinho esteve no Real de Cristiano Ronaldo. Um 4-2-3-1 onde o craque português não tinha tanto cacoete no corredor para atrás do meio de campo. Ozil também eh bastante preguiçoso por sinal.

Será que Hazard sairia para o PSG, por exemplo? Levando em consideração que eh onde falta esse ponta esquerda. Penso que não... PSG cresce no cenário mundial, verdade. Mas o fator premier league pesa muito pra qualquer jogador.

Hazard eh jogador de Real Madrid, Barcelona, Man Utd... Quem sabe até no Bayern onde se tem o talentoso, porém já velho, Ribery.