quarta-feira, abril 02, 2014

Xavi ou Fàbregas. Ou um, ou outro

Terminei o post assim: “É uma questão de comparação, de custo-benefício, como tudo na vida. E pode ser que Martino tenha chegado à conclusão de que, sim, vale a pena "sacrificar" Neymar na ponta direita para que o time, coletivamente, com Iniesta na ponta esquerda (e Busquets, Xavi e Fàbregas no meio), atinja um nível mais satisfatório.” Leia aqui a íntegra.

O 1 a 1 contra o Atlético, pelo jogo de ida das quartas da Champions, no Camp Nou, reabriu a discussão (pelo menos na minha cabeça). Será mesmo que vale a pena? Pois quando joga na ponta direita, Neymar é apenas um bom atacante. Okay, um ótimo atacante. Quando joga na ponta esquerda, porém, Neymar é um dos melhores jogadores do mundo, e isso ficou evidente na partida de ontem, terça-feira. A bola que ele recebe de Iniesta e o tapa que ele dá com a parte de dentro do pé no canto oposto de Courtois só se concretizaram porque ele estava no seu habitat natural: a ponta esquerda (e Iniesta na meia esquerda).

É verdade que contra o Real Madrid e o Manchester City, nas oitavas, o Barcelona funcionou com Iniesta na ponta esquerda e Neymar na direita. Contudo, é óbvio que o craque brasileiro atinge seu ápice, joga a 100%, à esquerda. À direita seu futebol se reduz a, sei lá, 60%.

No fundo, no fundo, a sinuca de bico, o xis da questão, passa por Fàbregas ou Xavi (ou um, ou outro). Eu, particularmente, acho que nessa temporada Xavi é banco de Cesc (tanto no clube quanto na seleção). Entretanto entendo que há um certo tabu em mexer em medalhões. Discordo radicalmente, mas entendo. Uma espécie de gratidão eterna que atrapalha a evolução.

Mas enfim, espero que Tata Martino reconsidere essa ideia, espero que ele tenha colhão para escolher Fàbregas ou Xavi (e não Fàbregas e Xavi), para que Neymar renda seu máximo, na ponta esquerda, e para que Iniesta também renda seu máximo, na meia esquerda, pois, embora possa trabalhar na ponta esquerda, Iniesta atinge o 100% na meia, e não na ponta. Ou seja: em nome da média que tem feito com o medalhão Xavi, e talvez em nome duma suposta segurança e dum estilo de posse e passe, como escrevi no post da semana passada, Tata limita não só o futebol de Neymar, mas também de Iniesta. Aliás, com os dois nas suas respectivas posições (um na ponta e o outro na meia), o Barcelona chegou ao empate contra o Atlético (passe de Iniesta, gol de Neymar). Logo, Tata, decida-se: é Xavi ou Fàbregas.

Um comentário:

Marcelo Santos disse...

Se o Neymar só joga na esquerda, então, pra mim, ele é um jogador limitado. A mídia enche tanto a bola dele... Então, se ele é esse craque que todos dizem, ele tem que jogar seja na esquerda ou na direita. O Neymar, pra mim, é super estimado. É um atacante muito bom, mas, desculpa: não é craque.