segunda-feira, março 12, 2007

Forte jogo

Alguns jogadores do Santos encarnaram o espírito do Sansão. Mesmo sem ter cabelo algum, o careca Antonio Carlos foi um deles. Bateu como se fosse um gladiador. Leandro que o diga. O atacante são paulino disse, após o jogo, que Luxemburgo teria mandado o ex-racista, zagueiro santista, bater. E ele bateu.

Outro que, mesmo com cabelo alisado, bateu, foi Fábio Costa. A dividida com Aloísio foi sangrenta. Na verdade, não foi dividida, porque a bola já estava em posse do goleiro. Mesmo assim, foi um olho na bola, outro no joelho. Ou melhor: duas mãos na bola, e as travas da chuteira - do Fábio Costa - no joelho - do Aloísio.

Outro ponto vital do jogo envolveu cabelos compridos. A bandeirinha impediu o gol do Santos, de forma equivocada. Jonas não estava empedido, no lance. Mas isso não quer dizer que o Peixe ganharia, afinal, o juiz não expulsou Fábio Costa, nem deu pênalti na mesma jogada, a favor do São Paulo, citada no parágrafo acima.

Porradas à parte, o resultado do jogo não surpreendeu: 1 a 1, com gols dos laterias, Ilsinho, e Carlinhos.

3 comentários:

Zaca disse...

Ex-racista, ex-raçudo, ex-jogador de futebol, ex-vitima de racismo e atual objeto de amrketing internacional. Continuo não entendendo o que o Luxa quer com om C.A. Zago. O mais engraçado é ele querendo pagar de bom moço "O Leandro mente desde o início da carreira... todo mundo sabe". Mente como ele, Antonio Carlos, que após aquela cena patética de racismo contra o, no máximo jogador mediano, Jeovâncio no Brasileirão passado disse que estava apenas "mostrando um corte no braço", depois a história mudou para "eu já vesti várias camisas, não sou guri novo"... Ta bom, ta bom...

Zaca disse...

Jeovanio

carlão disse...

A pessoa que tem ideais racistas não tem crédito nenhum comigo. Nenhum! Não considero nada que esse cara fala. Nada!