domingo, março 04, 2007

Dia de Valdívia

Clássico que é clássico termina com placar clássico. E assim foi. 3 a 0. Em dia de Valdívia, o Palmeiras superou o Corinthians com facilidade. Não sei se por fraqueza do Timão, ou se por força do Verdão. Talvez, os dois.

Edmundo foi o nome do jogo. Marcou dois e deu o passe para o gol de Osmar, além dos toques de bola, cadenciando o jogo, quanto necessário, e acelerando-o, quanto preciso.

Se Edmundo foi o nome do jogo, Valdívia foi o melhor do jogo. Ninguém em campo encarnou o espírito do clássico quanto o chileno. Ele fez bonitas jogadas, dentre passes, arrancadas e dribles, dignas de camisa 10, embora a partida em si tenha sido feia.

Feia, principalmente, para o torcedor corintiano, que vê em campo um time invertebrado, sem espinha dorsal, sem base, sem comando e sem vergonha. A cada jogo fica clara a ausência de qualidade técninca e tática no time do Parque São Jorge.

4 comentários:

Bitch disse...

"time invertebrado, sem espinha dorsal, sem base, sem comando e sem vergonha"

tu ta gostando dssa fase do timao ein Crá! o q seria de vc senao fosse o corinthians! eeeeee cra..aproverita essa fase pra se esbaldar, pq nao vai durmar muito!

Sai zica!

carlão disse...

Ué! Você não concorda?

Zaca disse...

Valdívia é bom jogador até... é rápido e... adepto do futebol-cotovelo. Gostei, gosto do Palmeiras, odeio o Corinthians... na minha paixão por futebol foi um final de semana agradável... pena o foi o ultimo gol do Gabiru.

carlão disse...

Só não foi agradável a lesão do Nilmar. Coitado. Dessa vez, foi o joelho esquerdo. Provavelmente a famosa "ruptura no ligamento cruzado anterior".