segunda-feira, novembro 19, 2007

Dia de Domingos

Domingo era dia de domingada.

Dia de ir ao estádio para ver o lorde dos gramados fazer suas jogadas chiques, finas, de classe.

Suas domingadas.

Como um cavalheiro, roubava a bola sem um pontapé sequer.

Elegante, matava-a no peito, erguia a cabeça, e saía jogando rasteiro, tranqüilo. Driblava o primeiro, o segundo, o terceiro. Quando o próximo adversário se aproximava, um lançamento de quarenta metros saía de seu pé para encontrar o ponta-esquerda na caral do gol.

Domingo era dia de Domingos, o Divino Mestre.

Dia de ver o maior defensor brasileiro de todos os tempos. O mais clássico dos clássicos dos zagueiros.

*Domingos da Guia nasceu num 19 de novembro, em 1912, no Rio de Janeiro. Durante a década de 30 e 40, além da Seleção, jogou em vários clubes: Bangu, Nacional, Vasco, Boca Juniors, Flamengo e Corinthians. É irmão de Ladislau da Guia, maior artilheiro da história do Bangu. E pai de Ademir. Domingos faleceu em 2000.

4 comentários:

Carlão Azul disse...

Não o ví jogar, mas transformou-se sem dúvida numa lenda do futebol brasileiro.

Sds. Celestes

SITE/BLOG
www.SOUCRUZEIRENSE.9f.com
www.SOUCRUZEIRENSE.blogspot.com
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Filipe Araújo disse...

amanhã contra o uruguai estaremos livres das luciadas!!! jeje

abrazo!!

http://gambetas.blogspot.com

Marcelo Sant´Ana disse...

Eu só nao digo que Domingos foi absoluto por causa de Nilton Santos, que também foi zagueiro.

Abraço

http://www.blogdomarcelosantana.futebolbaiano.net

carlão disse...

Nilton Santos era lateral-esquerdo. O maior de todos, diga-se.