domingo, junho 29, 2008

50 anos do redescobrimento do Brasil

Podem falar da Hungria de Kocsis e Puskas, da Holanda de Cruyff e Neeskens, ou até mesmo do Brasil de Tostão e Rivelino. Podem falar. Mas a mais colossal seleção que já pisou nos gramados da Terra foi a brasileira de 1958.


Seleção que colocou ao mesmo tempo entre as quatro linhas heróis como Nilton Santos (o melhor lateral-esquerdo da história), Didi (o maestro mestre do meio-campo), Garrincha (o gênio), Pelé (o maior). Seleção que mostrou ao mundo como que se joga bola, que mostrou ao mundo como se transforma um esporte violento em arte. Seleção que revelou ao mundo, Sua Majestade.

A vitória de 1958 foi a mais importante não só porque foi a primeira, mas também porque ultrapassou as barreiras desportivas: Ela fez com que os europeus redescobrissem o Brasil. Ela colocou o nosso país no mapa. E, principalmente, ela enterrou, ao menos por algum momento, o complexo de inferioridade, o complexo de vira-lata de Nelson Rodrigues, que assolava a calejada população brasileira.

2 comentários:

Vinicius Grissi disse...

Post perfeito. Apesar de infelizmente não ter nascido há tempo de ver estes rapazes jogarem, assino embaixo do que você disse pelo que já li, ouvi, e vi.

Marcelo Bloc disse...

O que dizer de um time que reúne Djalma Santos, Didi, Pelé e Garrincha? Coitados dos adversários.