quinta-feira, maio 14, 2009

Regulamento na mão e bola no pé

Se gol fora de casa não fosse critério de desempate, a maioria dos mata-matas acabaria nos pênaltis, e a grade de programação das tevês e rádios seria danificada. Por isso, da Liga dos Campeões da Europa à Copa do Brasil, existe este regulamento.

Cabe aos clubes que disputam estes torneios entender este mecanismo e compreender que não levar gol em casa, e fazer fora, é o segredo do sucesso. O 1 a 0 no Pacaembu, por exemplo, foi um ótimo resultado para a equipe de Mano Menenzes.



A tarefa do Flu é palpável, mas complicada. No Rio o Tricolor terá de ir pra cima de um time consistente na defesa e contundente no ataque, sem poder baixar a guarda. Se der uma brecha, pode ser eliminado.

O outro jogo do mesmo horário pela Copa do Brasil terminou com o placar em branco. Postado para contra-atacar, o Inter suportou a duras penas a pressão imposta pelo Flamengo, e segurou o 0 a 0. Como o Fla não sofreu gol no Maraca, fazer um prognóstico deste confronto é impossível. Qualquer um pode sair classificado do Beira-Rio.

Já o Vasco pregou o caixão do Vitória no duelo de ida, 4 a 0 em São Januário, e agora espera o vencedor de Corinthians e Fluminense.

2 comentários:

Blu disse...

Gostei da sua análise. Na minha opinião, a tarefa do Fluminense é mais difícil que a do Flamengo. O tricolor vai ter que jogar em cima e correrá muito mais riscos de contra-ataque. O confronto entre Fla e Inter está zerado, só que a partida é na casa colorada, o que complicará muito o time de Tite se o Fla fizer gol.

gerson disse...

Sem dúvida a tarefa do Flu é muito pior, pois terá q fazer 2 gols e não levar nenhum. Já no outro confronto o primeiro jogo só valeu para dar a vantagem de empate com gols para o Flamengo. Nesse regulamento o 0 a 0 beneficia o time da casa q empatou o primeiro jogo. Pro Inter o negócio é vencer de qqer jeito.