quarta-feira, junho 16, 2010

Sistema tático espanhol precisa mudar

O 4-2-3-1 da Espanha é pertinente. Alonso e Busquets compõem a dupla de volantes, Silva e Iniesta atuam pelas beiradas, com Xavi por dentro e Villa de centroavante. Contudo, na minha visão, Iniesta não é jogador de lado de campo.



Sei que Fernando Torres vem de uma temporada inconstante por problemas médicos. No entanto é impensável um time sem ele e Villa na frente, por razões óbvias: são craques, exímios finalizadores, cheios de recursos técnicos. Sabem jogar dentro e fora da área.

Se Del Bosque concordar, a estrutura tática deverá ser alterada para o 4-4-2. A dúvida fica no meio-campo: em linha, quadrado ou losango? Ou quem sabe um 4-1-3-2?

Na minha opinião a melhor formação seria o 4-4-2 em quadrado, com dois volantes (Alonso e Busquets/Xavi), dois meias (Xavi/Fábregas e Iniesta) e dois atacantes (Torres e Villa). Resta saber se este esquema está treinado.

3 comentários:

Pedro disse...

Não tenho absoluta certeza, mas acho que o Torres só não é titular porque não tem condições físicas ideais. Na Euro 2008 a tática era o 4-4-2 em duas linhas, com Xavi e Xabi Alonso por dentro e Iniesta e David Silva (que em qualquer esquema é preferido pelo técnico em relação ao Fábregas) pelos lados. Eu tentaria mais ou menos isso, variando para 4-1-3-2, com Xavi, Iniesta e Silva com ampla liberdade de movimentação, como aliás já ocorre.

André Augusto disse...

Del Bosque foi pouco ousado hoje. Poderia ter entrado com Pedro no lugar do Busquets e ter recuado o Xavi, com Iniesta e Silva nos flancos.

Leo Leghi disse...

Só sei que se a Espanha
ficar em 2º e resolver jogar
nas 8vas o Brasil tá enrolado...
Isso se a gente também passar
em 1º... Aliás, isso se a
gente passar, rsrs...