segunda-feira, junho 07, 2010

O plano B do Brasil

No segundo tempo do amistoso contra a Tanzânia, a Seleção adotou sua estrutura tática reserva: o 4-4-2 em losango, com Ramires e Daniel Alves no apoio, Kaká na articulação, Luís Fabiano na referência e Robinho na movimentação.



O lance do quinto gol é emblemático: Daniel Alves cruza para Ramires marcar de cabeça. Desta forma, e com estas peças, o time fica mais leve, equilibrado, rápido e técnico.

O esquema titular é o 4-5-1 (4-2-3-1), mas o 4-4-2 é a segunda opção há tempos. Salvo engano, foi o sistema utilizado em toda a Copa América de 2007, naquela equipe que tinha Gilberto Silva, Mineiro, Elano (Daniel, na final diante da Argentina) e Júlio Baptista no meio-campo, Robinho e Love na frente.

2 comentários:

Fernando disse...

Não sou chegado à análise tática e sim técnica.

Mas esse Plano B é muito melhor que o Plano A, salvo pela entrada do Josué, que não podia estar numa seleção, muito menos na do Brasil.

Mas trocando ele pelo Gilberto Silva, pra mim seria nosso melhor time possível.

mArcelo - www.myspace.com/ativarock disse...

Gosto muito dessa formação!

Já que temos os dois melhores laterais-direito do mundo, e vários volantes equivalentes, é uma ótima opção sacar um desses volantes e colocar o Daniel Alves entre os titulares, que além de ser muito técnico e ofensivo, seria o homem da bola parada, coisa que sem ele em campo, não temos!

E o Maicon fica pra guardar a defesa, coisa que faz muito bem, podendo revezar com o Daniel!