sexta-feira, agosto 10, 2012

Prévia da final olímpica

Rômulo e Thiago Silva pela direita, Sandro e Juan pela esquerda. Em tese estes são os atletas brasileiros que deverão cobrir as investidas de Rafael e Marcelo. Isso porque uma das jogadas fortes do México é a projeção de seus extremos às costas dos laterais adversários.

Se a expectativa for confirmada, as duas equipes devem atuar no 4-4-2 em linha, com variação para o 4-2-3-1. Os atacantes de movimentação Neymar e Cortes (ou Fabian), sem a bola, devem cercar os primeiros volantes. O camisa 11 verde e amarelo tende a voltar para buscar o jogo, e deve ser vigiado de perto por Enriquez (ou Salcido).



Com a inserção de Oscar pela faixa central, quando o Brasil tiver a posse, é provável, como visto em outras partidas, que o flanco esquerdo do time treinado por Mano Menezes seja mais agudo, em função das subidas de Marcelo e Alex Sandro. O risco é, a exemplo de outros duelos, deixar Rafael abandonado.

Na teoria, a Seleção é melhor. Todavia não será surpresa se a posse do México for superior, e se o Brasil adotar o contra-ataque como estratégia. Foi assim diante da Coreia do Sul, por exemplo.

Tentativas de previsão à parte, a bola rola na prática, em Wembley, às 11h, horário de Brasília. Vale a cobiçada e desejada medalha de ouro.

No Twitter. No Facebook.

3 comentários:

Pedro Caldas disse...

O Mano desmontou o esquema inicial dele, do nada. Esse esqueminha aí, só serve para concentrar o jogo no Neymar e quebrar o lado direito do time. Se jogar assim, pode perder.

O ideal é soltar mais um segundo volante, e jogar com Pato ou Hulk de segundo atacante. Aí goleia.

Pedro Caldas disse...

O Mano não sabe nada, cara. O jogo do Brasil todo concentrado no Neymar. Volantes grudados na defesa e mesmo assim tomaram gols. A gente que escreve nos blogs sobre futebol, sabe mais que esse cara. O Muricy é o melhor treinador BRASILEIRO, no momento.

napontape disse...

Muito bom seu blog !