sexta-feira, julho 03, 2009

Kléber: crucial, contundente, categórico

Na entrevista coletiva após a partida perguntaram a Paulo Autuori (Nando Gross, se não me engano), se falta ao Grêmio "aquela qualidade para desequilibrar o jogo", o talento individual.

O técnico gremista respondeu que, no futebol brasileiro, não tem visto nada de tão diferente. E, sem personificar, apontou o Corinthians como equipe, time mais equilibrado do país (concordo).

Autuori é um sujeito fantástico, não faz questão de aparecer, diz que os protagonistas do futebol são os jogadores e a torcida, procura sempre explicar o porquê das coisas aos seus comandandos e às pessoas que o cercam, excepcional treinador que poderia muito bem dirigir uma Seleção Brasileira numa Copa do Mundo. Sou fã do cara, como profissional e como pessoa.

No entanto quando ele afirma, na opinião dele, evidentemente, que hoje não há ninguém que faça a diferença, eu discordo. O camisa 25 do Cruzeiro faz. Como fez no Olímpico, por exemplo. Sem tirar os méritos de Adílson Batista e dos outros dez jogadores, no 2 a 2 diante do Grêmio quem desequilibrou foi Kléber.



Fábio fecha a meta, Jonathan e Gerson Magrão produzem um belo volume à frente, Leonardo Silva e Thiago Heleno, se não são nenhum Domingos da Guia, dão conta do recado, Marquinhos Paraná é a polivalência e a eficiência em pessoa, Ramires é jogador de Seleção, Wagner é o pé pensante, Wellington Paulista é a referência na área. Mas sem Kléber, a história da Raposa neste primeiro semestre provavelmente seria diferente.

Porque o Gladiador faz a diferença.

Protege a bola como ninguém, chuta com as duas pernas, tem poder de finalização, inteligência tática, habilidade para o drible, técnica para o passe, objetividade e regularidade. E claro, transpira raça.

Basta o Cruzeiro se sagrar tricampeão da Libertadores para que Kléber seja convocado, pelo menos por boa parte da crítica e do público, à Seleção.

3 comentários:

Arthur, o do Boteco! disse...

Pois é Pizzato. Mas nosso treinador saído do filme dos 7 anões ainda prefere chamar o Robinho. Fazer o quê...







Ouvi relatos de que a torcida do Grêmio fez insinuações racistas à alguns jogadores do Cruzeiro...você confirma isto Pizzato? Realmente houveram ofensas racistas de parte dos Gremistas?

Carlos Pizzatto disse...

Cara, vi o jogo pelo SporTV.

Parece que rolaram as tais ofensas, por parte da torcida gremista.

RPB Blog disse...

O Kléber deve ser testado na seleção, sim. Escrevi sobre isso hoje também. Está jogando muito esse cara!

Aliás, não que eu ache legal a debandada de jogadores dos clubes brasileiros (pelo contrário), mas acho que se o Milan quer um atacante, o ideal seria o 'Gladiador'. Trata-se de um atleta com a cara do futebol italiano e creio que o custo-benefício seria melhor do que se contratarem o Dzeco, do Wolfsburg.