segunda-feira, julho 13, 2009

A Unimed é o câncer do Fluminense

Na verdade não podemos confundir as entidades com as pessoas que as dirigem. Vamos dar nome aos bois: Celso Barros é o presidente da Unimed, e o médico Roberto Horcades, aquele dos dois neurônios, é o cartola maior do Fluminense.

O diagnóstico é simples: Barros é quem dá as cartas no Flu. Para agravar a situação, tanto ele quanto Horcades não entendem nada de futebol.

Estes são os grandes tumores do tricolor carioca.

No entanto Carlos Alberto Parreira não pode ser considerado vítima neste episódio. Está muito claro para mim, desde 2006, que ele é um técnico bastante limitado, principalmente taticamente.

3 comentários:

Claudia Castelo Branco disse...

só escalando o Sobrenatural de Almeida pra dar um jeito no flu..

Blog do Deco disse...

O futebol do Rio viaja!! Contratam chinelinhos, treinadores ultrapassados, as Diretorias adoram fazer #@*#, e acham que tem Times! Enquanto isso, não ganham um Brasileirão desde 2000. Ve se aparece no meu blog viu? rsrs

GUILHERME RIBEIRO disse...

Cancer, uma palavra muito forte...
Mas creio que a Unimed não seria a melhor opção para clubes...

Pois eles até escalam o time junto com o técnico...
isso não existe..


Sou a favor de parcerias no futebol...

Mas essa não..