quarta-feira, agosto 26, 2009

A revolta de Antônio conselheiro

Se conselho não se dá, se vende, o preço pago pela Lusa foi altíssimo. Um assalto. À mão armada.

O mentor da ameaça feita no vestiário do Canindé foi o empresário e conselheiro Toninho da Divena, acompanhado de outro conselheiro e de alguns capangas armados.

Não é a primeira vez que um Antônio conselheiro adere às armas. A diferença é que aquele Antônio, Conselheiro com c maiúsculo, que particularmente me orgulha, as utilizava para se defender, ao contrário deste, que tanto me envergonha.

5 comentários:

Eduardo Costa disse...

Cara ficou muito boa está tua comparação neste episódio lamentável que aconteceu ontem.
Abraço

Maldita Futebol Clube disse...

Poisé, meu caro. Não pode ter acesso a um jogo armado, independente de ter porte de armas e muito menos ir ao vestiário com capangas! esse cara tem que ser punido e os jogadores da Lusa que tomar vergonha na cara! abs,Leandro

Marcelo Bloc disse...

ótima comparação, Carlão!

Blog do Tavares disse...

Queria ver se os jogadores da Lusa fizessem uma greve, será que iriam matar os caras?

Coisa de país de quinta isso que aconteceu.

Abraços!

p.s.: Boa lembrança a do outro Antônio, grande figura da nossa história.

Equipe Esporte Total disse...

Excelente comparação mesmo! Infelismente isso acontece, mais minha lamentação não é só porcausa do futebol e sim pelo fato de ter ameaça no meio. TEm que ser apurado tudo, para que essas pessoas que se dizem torecedores não sairem impunes da situação.