quinta-feira, março 19, 2009

O que importa é o primeiro

Responsáveis por todos os gols do São Paulo na Libertadores, Washington e Borges reconhecem que a equipe tem jogado mais na base da vontade do que na técnica:

"Libertadores é assim, jogo mais de choque, de pegada, e o nível técnico não é de qualidade. O São Paulo sabe e está bem preparado para isso", comentou o camisa 9. Não diferentemente de Borges, autor do gol da vitória sobre os uruguaios: "Em Libertadores é difícil fazer jogos bonitos porque é realmente uma competição diferente, tem mais força e vontade do que beleza".



Nem todo mundo joga feio na Libertadores. O fato é que a estratégia do Tricolor não favorece a estética. O jogo do São Paulo não flui até que um dos centroavantes marque o primeiro gol. Depois disso o adversário vem pra cima e deixa espaços para os são-paulinos trabalharem melhor a bola.

Em resumo é isso. Até sair o primeiro primeiro gol, o São Paulo joga feio, na base da força. Com 1 a 0 no placar, o talento tricolor vai aparecendo aos poucos.

Um comentário:

gerson disse...

isso aí, pra ganhar libertadores não precisa jogar feio. mas é que o são paulo não sabe jogar bonito. nem por isso é um time meia-boca. muito pelo contrário. é eficiente e competitivo. e contra o defensor tb contou com a incompetência do ataque violeta.