sábado, setembro 08, 2007

Futebol em dois tempos

Que o São Paulo tem um belo treinador, nós sabemos. Que tem um ótimo goleiro, uma baita defesa, um time bem entrosado e um ataque eficiente, nós também sabemos. Tanto é que o tricolor paulista está há 13 jogos sem perder e há 9 sem levar um golzinho sequer. Agora, se existe outra virtude - se é que podemos assim denominar - que o São Paulo possui, chama-se sorte.

O escrete de Muricy conseguiu um feito que nenhuma outra equipe foi capaz de obter há exato um ano: vencer o Vasco em São Januário. Por 2 a 0, o São Paulo conquistou uma vitória, teoricamente, injusta. Teoricamente, porque o Vasco foi bem melhor no primeiro tempo da partida, mandando inclusive duas (duas!) bolas na trave (na trave!) de Rogério Ceni. É a tal sorte. Porém, na segunda etapa, o visitante impôs seu ritmo de jogo, com sua defesa consciente e eficiente, seu meio-campo pegador (e faltoso), e seu ataque preciso (quando preciso).

Portanto, pode-se resumir a partida da seguinte maneira: 1º tempo do Vasco, com pressão assustadora nos primeiros minutos por parte do time cruzmaltino, além de duas bolas metidas na trave de Rogério. 2º tempo do São Paulo, igualando o jogo e aos poucos superando o adversário, marcando o primeiro gol após jogada individual de Dagoberto, e o segundo, no final da partida, com Hernanes, numa bola desviada na zaga vascaína, matando o goleiro Sílvio Luiz. É a tal sorte são-paulina.

Talvez o resultado mais justo seria um empate, mas como campo de futebol não é tribunal de justiça, o líder sai de São Januário satisfeito, já de olho no Peixe, próximo adversário, em mais uma dura partida.

4 comentários:

Vinicius Duarte disse...

Prezado Carlão, desculpe a ausência...
A sorte explica muitas coisas, mas não é precisa. O que o tricolor tem, e os demais times não têm é um padrão de jogo e tranquilidade administrativa para manter esse rumo, mesmo quando é alvejado por críticas quanto à beleza do seu futebol. Gostaria que mais clubes seguissem essa receita, pois temo pelo fim dos pontos corridos no Brasileiro, a se continuar assim.

carlão disse...

Concordo contigo, Vinicius. Soma-se a isso, a confiança que o time do SPFC adquiri a cada rodada.

Sobre os pontos corridos, como você disse, se os demais clubes não seguirem a receita, o São Paulo tende a brigar pelo título sempre. E toda vez com grandes chances de ser campeão.

Também temo pelo fim dos pontos corridos. Ainda mais se alguns clubes com forte influência política dentro da CBF, por exemplo, ficar ano após ano fora do páreo. Ou brigando para não cair.

Breiller disse...

Fora de casa, o São Paulo vai para jogar pelo empate. Além disso, o que vier é lucro. Um time que chama o adversário no seu campo de defesa o tempo todo, mas suporta a pressão, com o sólido sistema defensivo. Depois, com o adversário já cansado de tanto insistir, sai em busca dos contra-ataques.

Joga pelo empate e, muitas vezes, sai com a vitória.

carlão disse...

Sem falar no preparo físico do jogadores são-paulinos. Sem dúvida, está acima da média.