quinta-feira, junho 04, 2009

Como jogam os finalistas

A estrutura tática base do Corinthians é o 4-2-3-1. Este esquema, aliás, é adotado por Mano Menezes desde os gloriosos tempos de Grêmio, onde o treinador foi peça fundamental para levar o clube gaúcho da Série B ao vice-campeonato da Libertadores em menos de três anos.

Vez ou outra Mano escala três zagueiros ou o meio-campo em quadrado, mas por necessidades eventuais. São exceções. Em regra o Timão joga neste 4-2-3-1:



Jorge Henrique e Dentinho são bastante aplicados taticamente. Quando a equipe está com a bola eles se movimentam com velocidade em diagonal ou rumo à linha de fundo, buscando sempre os companheiros, o drible ou o gol. Quando se perde a bola eles são obrigados a acompanhar o laretal adversário, e consequentemente a voltar para formar uma linha de quatro no meio composta por Elias e Cristian por dentro.

Vale lembrar que sem André Santos a saída ofensiva pela esquerda do Corinthians, principalmente a diagonal que o 27 faz tão bem, fica menos forte.

Já o Internacional atua no 4-4-2 com o meio-campo em losango desde os tempos de Abel. Tite chegou e manteve. Mudaram algumas peças, mas o plano tático é o mesmo. Do time do segundo semestre do ano passado, o que venceu a Sul-Americana, saíram Marcão, Edinho e Alex, e entraram Kleber, Sandro e Taison. Reposições à altura? Para mim foram mais que isso.

Conta-se em uma mão o número de vezes que Tite escalou o time em outro esquema. Praticamente sempre o Inter joga neste 4-4-2 em losango:



Sem dúvida o diferencial do Colorado é o trio da frente, que prima pela velocidade, pela habilidade e pela técnica. D'Alessandro é o arco, Nilmar e Taison são as flechas. Com os três em campo o contra-ataque é fatal. O 10, que flutua por uma extensa faixa do gramado para criar, é o pé pensante, enquanto o 7 e o 9, que são mortais nas diagonais, são os pés velozes.

No entanto sem Nilmar esta arma é menos letal, já que Alecsandro não tem a mesma velocidade (nem a habilidade) do craque que está servindo a Seleção.

Em tese, na minha opinião, o Internacional leva uma leve vantagem tática na meia-cancha sobre o Corinthians.

4 comentários:

Bruno Silva disse...

Boa análise Carlão, mas tem um erro na prancheta do Corinthians. O Mano nunca usou o Jean pela esquerda no lugar do André. Quem faz as de lateral mais defensivo quando o André não está é o zagueiro Diego.

Abraços!
Bruno Silva
http://www.ladobdocassete.com.br

Carlos Pizzatto - Blog do Carlão disse...

Diego! Troquei o nome. Ontem foi o Diego quem jogou, e não o Jean.

Valeu pela notificação.

Anônimo disse...

Boa analise,
mas tu esqueceu de bota o guinazu em todas as partes do campo ;)

Eduardo disse...

Acho, o Contrário, o Corinthians leva vantagem, pois o Mano Menezes, sabe trabalhar e bem contra o Inter.
Pode escrever: O Corinthians ganha, os dois jogos, aqui em São Paulo, e lá em Porto Alegre.