sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Santos, o Barcelona brasileiro

"Aqui tem muita musculação", reclamou De Federico, se referindo à carga de treinamento imposta no Brasil.

Zico é outro que não sabe se seria jogador profissional, se jogasse nos dias de hoje, por causa de seu corpo franzino na adolescência.

Na busca insana pelos títulos, para manterem seu ganha-pão, boa parte dos treinadores da base preferem garotos mais altos e fortes aos magrelos habilidosos, para se imporem e vencerem na base da força.

Alguns clubes, no entanto, ainda privilegiam a qualidade, a técnica, a habilidade. Não chutam para escanteio o lado lúdico do futebol. Na Europa, Barcelona, e no Brasil, Santos, representam isso.



Xavi e Iniesta são dois exemplos. Pequenos grandes jogadores, multicampeões, criados na famosa cantera azul-grená. Por aqueles cantos da Catalunha, respeita-se a tradição.

Por aqui, a Vila Belmiro é outra gestante que torce o nariz para os músculos artificiais. Pari talento. Parto natural. Neymar e Robinho são mostras vivas disso. Moleques franzinos que transbordavam magia ainda na incubadora.

Como admirador do jogo bonito, particularmente prefiro esta linha de ensinamento àquela. E para os que pensam que só se ganha com o futebol-força, o Barça está aí para provar que existe sim o futebol-arte de resultado.

3 comentários:

André Augusto disse...

Neymar já faz um trabalho de reforço muscular há tempos, assim como Robinho. Acho que a questão não é essa, e sim como fazer o reforço sem que o atleta perca suas características.

Quanto ao Santos, joga bem sim, mas é cedo pra qualquer tipo de comparação.

Nicolau disse...

Essa é uma questão que eu me coloco sobre o trabalho do Mano Menezes no Corinthians. Se Defederico está lá se sentindo gordo, como afirmou na época, é orientação dele. O que será que ele faria se tivesse chegado ao Santos no começo de 2008, quando Ganso e Neymar eram só promessas?

Melhores jogadores de futebol do Mundo disse...

O que Barça e Santos fazem com os seus pupilos são ótimos exemplos de como cuidar de crauqes,mas não podemos nos esquecer que as vezes isso é feito com certo exagero,exemplo é o Ronaldo Fenômeno.Quando foi jogar no PSV da Holanda fizeram um grande trabalho mas seus joelhos anos depois não aguentaram,tendo sérias lesões em sua carreira e numa delas quase parou de jogar.