segunda-feira, abril 26, 2010

Até onde vai o Grêmio?

Fossati deve escalar os reservas no Olímpico. Por isso quando penso no Grêmio, penso nos torneios nacionais.

No Gre-Nal deste domingo a equipe treinada por Silas deu uma pista sobre seu patamar no cenário tupiniquim. Bateu um dos seletos participantes da Libertadores por 2 a 0, fora de casa, com autoridade.



Qualquer um pode morrer no mata-mata. Mas, a meu ver, apenas um time pode parar o Santos na Copa do Brasil: o Grêmio. Se passarem por Fluminense e Atlético-MG, os prováveis campeões paulista e gaúcho de 2010 se enfrentam na semifinal.

Na longa maratona dos pontos corridos, o presságio é mais árduo. Porém se as principais peças do elenco forem mantidas até o final do ano, e a comissão técnica, o Tricolor vai brigar pelo título, imagino eu.

E essas peças atendem pelo goleiro Victor (o melhor em atividade por aqui há tempos), pelo zagueiro-central Mário Fernandes (a maior revelação brasileira desde Breno), pelo meia-esquerda Douglas (na minha visão o grande camisa 10 do Brasil, depois de Ganso), e pela dupla de ataque formada por Jonas e Borges (para mim, entre as três mais notáveis do país).

3 comentários:

André Augusto disse...

Pode não ter o futebol vistoso do Santos, mas me parece a equipe mais talhada para o tipo de cimpetição que é a Copa do Brasil em 2010.

Rodrigo De Ros disse...

Um nó tático de Silas no Fosatti
Eu sou um fá do Fosatti, mas no Inter ele não conseguiu fazer nada.
http://hojesporte.blogspot.com/2010/04/no-tatico-de-silas.htm

M disse...

Ganhamoso Grenal, mas até quarta-feira, quando tomamos 3 do Avaí, éramos o pior time do mundo. Quero muito ver o time do Santos jogando contra uma zaga pegadora, quero muito ouvir dizer que o time do Grêmio é violento... mas tenho muito medo deste status de o-time-capaz-de-bater-os-meninos-faceiros-do-santos.