quinta-feira, maio 17, 2007

Analista de resultados

Por motivo de força não tão grande assim, não pude ver os jogos da noite de quarta. Só peguei boa parte do segundo tempo de Figueirense e Botafogo.

E foi um bom segundo tempo (para o Figueirense). O alvinegro da Ilha foi bem mais perigoso no ataque, e principalmente no contra-ataque, além de ser mais compacto e seguro na defesa, do do que o alvinegro carioca.

O fato de não ter tomado gol em casa deixa o Figueira (que deve ter se fingido de morto contra o Atlético-PR, para enganar o Botafogo, a imprensa e os torcedores) numa situação não tão confortável assim, afinal, enfrentar o Botafogo, no Maracanã - palco de jogos com muitos gols - nunca é confortável.

O fato de não ter feito gol fora de casa deixa o Grêmio numa situação confortável. O Tricolor, neste ano, tem feito o necessário, e somente o necessário em casa. Precisava meter 1 a 0 no Cerro, para passar de fase, e meteu. Precisava fazer 4 a 0 no Caxias, para chegar à final do Gauchão, e fez. Necessitava de 2 a 0 em cima do São Paulo, e 2 a 0 conseguiu. No jogo da volta, precisa de 3 a 0...

Se tratando de Grêmio, o Defensor que se cuide.

O Fluminense bateu o Brasiliense no Maraca por 4 a 2. Boa vantagem para o tricolor de Laranjeiras. Só que se o Brasiliense chegou à semifinal da Copa do Brasil, não foi por acaso. Portanto, nada decidido. Na Boca do Jacaré a estória pode mudar.

O Santos empatou em 0 a 0 com o América, que utilizou o time quase inteiro reserva. Time quase inteiro reserva, o do América, que enfrenta o Guadalajara pelo Campeonato Mexicano, amanhã. Pois é. Ele priorizam o campeonato nacional. Vai entender...

Na verdade, dá pra entender. Os times mexicanos que disputam a Libertadores da América são os de "segundo escalão" do país. Os times mais fortes disputam o torneio da Concacaf, que dá vaga ao Mundial da Fifa. A Libertadores não dá vaga ao Mundial da Fifa, para mexicanos.

3 comentários:

Sidarta disse...

Bem feito pro Bota. Aquele jogo contra o Atlético foi triste.

Abraços,

Arthur Virgílio disse...

O técnico do Figueirense, Mário Sérgio, foi pelo princípio básico de futebol, não tomar gol. O tão comentado ataque do Botafogo não conseguiu superar a barreira alvinegra

gerson sicca disse...

O figueira vai para a final.
O Grêmio, a princípio, não tem uma tarefa impossível. Só se jogar tão mal como jogou na quarta.
De todo modo, os uruguaios colocam o pé na dividida, e não perdem jogo pra camisa. O Grêmio vai ter que correr.