quarta-feira, maio 23, 2007

Valeu!

Liga dos Campeões da Europa 2005/2006. Barcelona campeão. Ao longo de toda a competição, o maior jogador do mundo foi o grande destaque, levando o time catalão à conquista da copa de clubes mais importante do mundo.

Ronaldinho é nome do craque.

Liga dos Campeões da Europa 2006/2007. Milan campeão. Ao longo de toda a competição, o maior jogador do mundo foi o grande destaque, levando o time milanês à conquista da copa de clubes mais importante do mundo.

Kaká é o nome do craque.

Entre o título do Barcelona e o do Milan, entre uma Liga dos Campeões e outra, houve uma certa Copinha de Seleções qualquer, na Alemanha.

Curiosamente, tanto Ronaldinho, quanto Kaká, os dois gênios-mór da bola, os dois maiores jogadores dos últimos tempos, os dois mais fantásticos atletas do futebol mundial, jogam na mesma seleção.

E, (in)explicavelmente, a Seleção destes dois craques espetaculares, craques singulares, ímpares, conseguiu algo muito, mas muito, muito mesmo, difícil: não conquistar a dita Copinha de Seleções da Alemanha.

Dito isto, fica aqui meu profundo agradecimento: obrigado, Carlos Alberto Parreira! Você mora no meu coração, de verdade, eternamente.

26 comentários:

Danilo Damasceno disse...

Kaká é hoje o melhor jogador do mundo!Já Parreira ele não sabe escalar, alias ele é um bom pintor!Abraço

Breiller disse...

Kaká e Ronaldinho jogam bem em seus clubes porque tiveram tempo de treinar, a ponto de conseguirem estabelecer uma grande sintonia com seus companheiros.

Se destacam, mas o entrosamento tanto de Milan quanto do Barça é fundamental.

Tá certo que o Parreira teve, sim, sua parcela de culpa no fracasso da Copa. Mas os nossos craques sentiram a falta de "amparo coletivo", o qual eles têm em seus clubes.

O treinamento pré-Copa foi mal organizado pela CBF e a liberação para os jogadores "europeus" saiu muito em cima da hora. Acho que isso também contribuiu bastante pro fracasso.

carlão disse...

Evidente que não existe apenas um motivo para o fracasso na Copa.

Mas, tenho convicção de que a maior culpa é atribuída ao Parreira, por não ter escalado o Robinho.

Mas essa é outra estória.

Renato Bosi de Magalhães disse...

Famoso, hein. O Juca reproduziu todo o texto. Se der, comente no www.arquibancada06.zip.net.

mrsbrightman disse...

Primeira vez que venho aqui atraves do blog do Juca...adorei...
Quanto ao post, concordo com você e so tenho a "agradecer" ao Parreira.

S4vi0 disse...

Iurrrrghhhh!! Boa mórzao... nacionalmente conhecido agora... hehehe!!! Nem preciso comentar sobre o parreira né.. vc ja conhece minha opinião... belo técnico... mas para clubes, e nao seleção. Abrass

Anônimo disse...

O problema não é não conquistar a copa, mas sair dela desmoralizado tendo condições de fazer algo muito melhor

Vinicius Duarte disse...

Escutei esse texto no programa do JK, e não escutei o crédito. Fui ao blog do JK e vejo o texto lá, com o crédito, link e o cacete. Tu tá podendo, hein?

P A R A B É N S!

Calangopoulos disse...

Fala sério!
Kaká e R. Gaúcho jogaram bolinha de gude na Copa e a culpa é do Parreira?!

Elias Aredes disse...

copinha de seleções?
sei, sei...
só um detalhe: por mais que amem liga dos campeões, libertadores...nada supera a magnitude de uma copa do mundo...pelé, maradona, romário e ronaldo confirmaram suas glórias conquistando uma copa...chamar de copinha...sinceramente...

carlão disse...

É uma singela ironia, Elias.

Anônimo disse...

"Os dois maiores jogadores dos últimos tempos???"
E onde ficam Zidane, Romário e Ronaldo???
O Gaúcho e o Kaká tem muito pra aprender ainda.

carlão disse...

"Últimos tempos" é relativo. E outra, pelo visto, poucos entenderam o espírito do texto.

Alexandre disse...

Ah, fala sério, criticar o Parreira depois de 2006 virou lugar comum... O Ronaldinho nunca jogou nada na seleção e essa história de que ele era mal escalado pelo Parreira é pura balela. Ele jogou em várias posições com os mais diversos técnicos (inclusive com o Felipão em 2002) e tudo que fez foi uma boa atuação contra a Veneazuela, em sua estréia, e uma boa partida contra a Inglaterra na Copa. Partida na qual, aliás, ele foi infantilmente expulso de campo e, por pouco, não complicou tudo de vez. Existem jogadores de clube e jogadores de seleção. O Gaúcho é, sem dúvida, jogador de clube.

O Kaká estava fazendo uma boa Copa, mas acabou desaparecendo ao longo da competição e ainda não sabemos se sentiu a pressão ou se estava, de fato, contundido. O que interessa é que, ele também, foi muito apagado contra a França.

O Parreira escalou mal o time, sim. Os dois laterais eram ultrapassados, o Adriano deveria ter cedido lugar para o Robinho e o Ronaldo só deveria ter jogado quando estivesse em forma, poderia ter ficado de fora das duas primeiras partidas, por exemplo.

Mas o Kaká e, sobretudo, o Gaúcho, não foram bem na Copa e é injusto colocar toda a culpa no Parreira.

carlão disse...

Se a gente quiser, podemos apontar dezenas, talvez centenas de motivos para o fracasso em 2006.

Eu não coloco toda a culpa no Parreira. Somente a maior parcela.

Alexandre disse...

É aí que eu discordo de você. A maior parcela de culpa é dos jogadores. Quem não correu, não marcou, não vibrou e não demonstrou vontade em campo foram eles mesmos. Mesmo que Robinho fosse melhor opção que o Adriano, que Cafu e Roberto Carlos estivessem velhos, aindam continuam sendo grandes jogadores e poderiam render muito mais do que renderam se tivessem vontade.

A seleção que entrou em campo contra a França era a que todo mundo queria à exceção dos laterais, com o Pernambucano no meio e o Gaúcho solto no ataque, ao lado do Ronaldo. O Robinho sempre foi tido como excelente opção para o segundo tempo.

Kaká, Gaúcho e Pernambucano não entraram em campo e a culpa é do Parreira??

Só para concluir, eu duvido muito que o Parreira pudesse mudar tanto assim a seleção. A CBF é vendida não é de hoje e muitos jogadores foram escalados no esquema "just do it"... ou você acha que o Dunga teria convocado o Ronaldinho para o próximo amistoso se dependesse só da vontade dele??

carlão disse...

Acho que a cobertura da Copa da Alemanha nunca foi tão bem feita. Nós, mesmo que no Brasil, tinhamos acesso à todos os treinos da Seleção.

Diga-me você: visse alguma vez o Parreira treinar formações diferentes? Visse alguma vez ele trocar uma peça aqui, outra acolá?

Ele só dava "treinos" em meio campo, sempre com os mesmos jogadores. Não se via nenhuma alteração, nenhuma opção tática e técnica difenente.

A Seleção era a única que tinha os titulares numerados de 1 a 11, do goleiro ao ponta-esquerda.

Parreira definiu o time titular da Copa uns 5, 6 meses antes da mesma começar.

Um absurdo.

Insistiu no erro (o que caracteriza a burrice), e deu no que deu: a Copa mais fácil da história escorreu entre nossos dedos.

Henrique Moretti disse...

Os dois maiores jogadores dos últimos tempos?
E Zidane?

carlão disse...

Últimos tempos é relativo.

E, sinceramente, se fosse para escolher entre Zidane e Ronaldinho para ter no meu time, escolheria o Gaúcho.

E, se não são os dois maiores, são dois dos maiores.

Alexandre disse...

Infelizmente, não pude acompanhar os treinos preparatórios da seleção. Alguns amigos até comentaram comigo que o Parreira estava fazendo isso ou aquilo...

Eu acompanhei os amistosos e a Copa das Confederações e, em ambos, vi o Parreira fazer vários testes, com formações diferentes.

Se tivéssemos ganhado a Copa, diriam que uns 5, 6 meses antes, o Parreira já sabia qual era o time titular e que isso era sinônimo de planejamento, que o grupo estava fechado há muito tempo, etc... tudo é uma questão de ótica.

Aliás, que time é esse né: Dida, Cafu, Juan, Lucio, Roberto Carlos, Emerson, Zé Roberto, Kaká, Ronaldinho, Ronaldo e Adriano. Podia até não ser o melhor time do mundo, claro que Gilberto, Cicinho, Pernambucano, Robinho poderiam disputar vagas e tal mas me fale um desses nomes que não brilhou ao longo da carreira, qual deles não é digno da camisa da seleção???

"Copa mais fácil da história" - vamos ver - Zidane em sua despedida, jogando o fino da bola. Portugal altamente competitivo, muito bem armado com o Felipão e Cristiano Ronaldo. Alemanha em casa, com um time jovem e super motivado. A Argentina, com uma baita seleção, recheada de craques no banco de reservas. Inglaterra com Rooney, Owen, Gerrard, Lampard, ah é, tem a Itália que foi só a campeã...

Nem de longe, mas nem de MUITO longe, essa Copa era mais fácil de todos os tempos... ela pode até ter sido uma das mais sem graça, afinal, foi a Copa dos volantes, mas foi muito competitiva!

carlão disse...

A única diferença da Copa das Confederações foi a presença de Robinho em campo, no lugar de Ronaldo. Foi aí que o Brasil meteu 4 na Argentina, dando origem à expressão "Quadrado Mágico".

Se Robinho tivesse sido titular na Copa, a estória seria outra. Até o Dida jogava melho com Robinho em campo.

Alexandre disse...

A escalação do Brasil contra a Argentina, na final da Copa das Confederações, de acordo com o site oficial da FIFA, foi:

Dida, Cicinho*, Lucio, Roque Junior*, Gilberto*, Emerson, Zé Roberto, Kaká, Ronaldinho, Robinho* e Adriano.

São quatro jogadores titulares diferentes, incluindo os dois laterais.

Todo mundo sempre falou que a seleção do meio para a frente era uma maravilha e que o problema era a zaga. O Parreira arrumou a zaga, tomamos dois gols só, a copa inteira...

É muita utopia achar que, se pusesse o Robinho para jogar no lugar do Adriano ou do Ronaldo o Brasil iria atropelar todo mundo.

carlão disse...

Neste caso, sou utópico.

Robinho daria muito mais movimentação, muito mais opções de jogadas.

Como Ronaldinho poderia dar suas assistências genias, com dois centro-avantes parados na frente, sendo que um deles pesava quase 100kg ?

Nem Ronaldo (muito menos com a "forma" apresentada na Copa), nem Adriano, são jogadores para cair pelos lados, para driblar em espaço curto, para dar passes.

Robinho é.

Alexandre disse...

Pergunte ao Kaká se ele acha difícil dar assistências ao Ronaldo... mil vezes Ronaldo a Robinho.

Concordo que o Robinho no lugar do Adriano formaria um time mais veloz, mais surpreendente, mas, nunca trocaria um Ronaldo nem por três Robinhos. É só ver o gol que fez contra Gana, mesmo gordo, deixou todo mundo para trás e ainda driblou o goleiro como ninguém. o "Gordo" é foda!

Só para concluir, eu acho que o Parreira pisou na bola, principalmente no que diz respeito aos laterais. Mas a equipe que entrou em campo tinha potencial para render muiiiito mais do rendeu, principalmente contra a França. Faltou vontade, raça, disposição, coisa que, em uma Copa do Mundo, depende muito menos do técnico do que dos jogadores.

carlão disse...

Pergunte a Kaká quantos kilos tem o Ronaldo, hoje.

Deixou todo mundo para trás porque os ingênuos ganeses adiantavam muito, mas muito, a linha defensiva (não somente contra o Brasil, mas a Copa toda).

Concordo que faltou raça. Isso é consenso. Faltou alguém (talvez, o treinador) conscientizar estes já consagrados atletas o quão seria importante ganhar mais uma Copa do Mundo.

No más, valeu a discussão. É sempre bem-vinda.

Abraços, Alexandre.

macaco disse...

eu acho que a culpa é dos jogadores "europeus" da seleção, que construiram uma carreira de sucesso lá fora e esqueceram não só o jeito brasileiro de jogar como também o por que de se jogar futebol.
Mas não é só dos jogadores a culpa , se botasse o Felipão, queria ver quem não dava a vida dentro de campo...